Moais Na Espanha?

A ilha de Páscoa com suas Moais são um enigma para a humanidade até hoje, uma vez que sua população se extinguiu e não há registros escritos de sua história. Estranhamente, na longínqua Espanha, aparecem essas esculturas típicas pascuenses nas florestas locais.

Órrius é uma comunidade autônoma na Catalunha localizada na província de Barcelona, Espanha, e segue às margens do Mediterrâneo. Para os aventureiros e turistas ela está a 50 minutos de carro de Barcelona. A então nomeada Floresta Mágica se estende também ao longo da costa do Mediterrâneo.

Os residentes locais têm lendas que contam aos curiosos e turistas que envolvem mistérios associados a Órrius, tal como lendas sobre anões e duendes que supostamente vivem sob as rochas antigas ou no subsolo, falam de assombrações e aparições dos mais diversos tipos. Um chamariz intrigante para o público ser atraído e fisgado pela curiosidade, e então irem para a comunidade movimentar o fluxo comercial local.

No entanto, o mais interessante são as esculturas e estátuas em meio à mata. Artistas aclamam serem os autores de tais feitos, e até deixaram suas assinaturas em rochas menores ou nas próprias esculturas feitas em grandes blocos de pedra. Mesmo assim, ainda não se tem certeza se todas são criações recentes e/ou foram assinadas para parecerem mais novas do que realmente são, haja vista que, em outro exemplo, é largamente conhecido o fato da China ter pirâmides colossais na província de Xian e o governo do país faz de tudo para que isso não venha a público, inclusive fazem plantio de alimentos sobre as pirâmides na tentativa de esconder o que há ali. O que poderia significar para uma nação orgulhosa saber que sua origem pode ser mais ocidental que oriental?

E é aí que reside a dúvida: as esculturas não passam de mais um parque temático entre as árvores, ou seria mais uma forma de distorcer fatos que desconhecemos?

Infelizmente pesquisas com mais afinco não resultam em nomes, datas, registros dos artistas e a origem de fato das estátuas e sua autoria. Então, o que nos resta é dar uma passada por lá quando estivermos nos arredores de Barcelona e verificar pessoalmente, de forma mais cientifica do que mística, separando o joio do trigo para chegar a uma conclusão do que de fato seriam elas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *