Os Vedas e a Física Quântica

Compartilhe

Os Vedas, são textos da literatura indiana, considerados por muitos historiadores os mais antigos que existem, devido a possibilidade de seus conhecimentos terem sido passados por gerações e gerações, originalmente através da tradição oral, comum no mundo antigo. São compostos de quatro obras, no idioma Sânscrito védico, e neles estão guardadas muitas curiosidades e mistérios a serem desvendados.

Discorro, a seguir, um breve resumo de dois textos, nos quais este artigo será inspirado:

O primeiro texto, Bhagavad Gita, “canção do bem-aventurado”, trata da essência do conhecimento védico da Índia. Ele é um dos maiores clássicos de filosofia e espiritualidade do mundo. Uma filosofia perene que intriga a mente de muitos dos grandes pensadores da humanidade. Faz parte de um dos textos do épico Mahabharata, nos Vedas, embora seja de composição mais recente que o restante do livro. Ele apresenta uma ciência do auto realização e de consciência em Krishina, através do serviço devocional da bhakti-yoga.

O segundo texto, os Upanishades, surgiram como comentários sobre os Vedas, em finalidade e essência, sendo, portanto, conhecidos como Vedānta (“o fim do Veda”). Não há nenhuma pista sobre quando, nem quem, compôs estes textos. Este anonimato, destaca a natureza eterna das verdades neles contidas, fazendo-se por si só, amplamente reconhecido que aqueles que escreveram seus místicos versos foram, sem dúvidas, brâmanes também.

A mecânica quântica foi criada na década de 1920. As mentes por trás de tal feito se resumem em Werner Heisenberg, Niels Bohr e Erwin Schrödinger. Curiosamente, estes físicos, leram e respeitaram fortemente os Vedas, elaboraram a sabedoria desses livros antigos em sua própria língua e com fórmulas matemáticas modernas, a fim de tentar entender conteúdos em antigo sânscrito encontrados nos textos referindo-se a “Brahma”, “Paramatma”, ” Akasha ”e“ Atman ”.

 “ Uma transfusão de sangue do Oriente para o Ocidente para salvar a ciência ocidental da anemia espiritual ”, disse Schrödinger

Textos védicos Fonte: https://upliftconnect.com/quantum-physics-vedas

A física quântica começou com uma série de descobertas científicas diferentes, desde a descoberta dos raios catódicos em 1838, até a hipótese quântica e o efeito fotoelétrico. Ela explica a natureza e o comportamento da matéria e da energia nos níveis atômico e subatômico, e o termo mecânica quântica,começou a ser utilizado no início dos anos de 1920.

Erwin Schrödinger, foi um físico austríaco, ganhador do Prêmio Nobel, que desenvolveu uma série de resultados fundamentais no campo da teoria quântica. Ele estudou os Vedas extensivamente.

Um exemplo de seus estudos, está na famosa equação de Schrödinger que fornece uma maneira de calcular a função de onda de um sistema e como ela muda dinamicamente no tempo.

Entre seus muitos feitos importantes, ele prestou grande atenção aos aspectos filosóficos da ciência, conceitos filosóficos antigos e orientais, ética e religião. Também, escreveu sobre filosofia e biologia teórica, mas é muito conhecido por seu experimento de pensamento: ” O gato de Schrödinger “.

A multiplicidade é apenas aparente. Esta é a doutrina dos Upanishads. E não apenas dos Upanishads. A experiência mística da união com Deus conduz regularmente a essa visão, a menos que fortes preconceitos permaneçam no Ocidente. Não há nenhum tipo de estrutura dentro da qual possamos encontrar consciência no plural; isso é simplesmente algo que construímos por causa da pluralidade temporal dos indivíduos, mas é uma falsa construção … A única solução para esse conflito, na medida em que algum esteja disponível para nós, está na antiga sabedoria do Upanishads. – Erwin Schrödinger

Yoga Upanishads Fonte:http://www.julukayoga.com/yoga-philosophy-the-upanishads-workshop-exploring-the-ancient-vedic-texts-w-dr-prasad-sat-jan-14th-2pm/

Eu entro nos Upanishads para fazer perguntas. Niels Bohr

Tanto Bohr, famoso físico dinamarquês e vencedor do Prêmio Nobel, quanto Schrödinger eram ávidos leitores dos textos védicos e observaram que seus experimentos em física quântica eram consistentes com o que tinham lido nos Vedas.

Também na década de 1920, Werner Heisenberg, físico teórico alemão, que recebeu o Nobel de Física em 1932 – pela criação da mecânica quântica, cujas aplicações levaram à descoberta, entre outras, das formas alotrópicas do hidrogênio –  formulou seu famoso princípio da incerteza, onde afirma que, quando um físico tenta observar uma partícula subatômica, o aparato experimental inevitavelmente altera a trajetória da partícula subatômica. Isto acontece porque estão tentando observar algo que é da mesma escala que os fótons que estão usando para observá-lo, pois a recepção de fótons por nossa retina é o que chamamos de visão. O problema é que os fótons perturbam as partículas subatômicas porque são do mesmo tamanho. Assim, não há como observar partículas subatômicas sem alterar suas trajetórias.

A teoria quântica não parecerá ridícula para as pessoas que leram o Vedanta. A Vedanta é a conclusão do pensamento védico. Heisenberg

Fritjof Capra, físico teórico e escritor que se tornou mundialmente famoso com seu livro “ O Tao Da Física”, traduzido para vários idiomas, quando entrevistado por Renee Weber no livro The Holographic Paradigm (página 217-218), afirmou que Schrödinger, ao falar sobre Heisenberg, disse: “Eu tive várias discussões com Heisenberg. Eu morava na Inglaterra, em meados de 1972, e o visitei várias vezes em Munique e mostrei todo o manuscrito, capítulo por capítulo.

Ele estava muito interessado e muito aberto, e ele me disse algo que eu acho que não é conhecido publicamente, porque ele nunca o publicou. Ele disse que estava bem ciente desses paralelos. Enquanto ele estava trabalhando na teoria quântica, foi para a Índia para palestrar como um convidado de Tagore. Ele falou muito com Tagore sobre a filosofia indiana. Heisenberg me disse que essas conversas o ajudaram muito com seu trabalho em física, porque mostraram a ele que todas essas novas ideias em física quântica não eram de fato tão loucas. ”

Quando Schrödinger falou de um universo no qual as partículas são representadas pelas funções de onda, ele disse assim: “A unidade e a continuidade do Vedanta são refletidas na unidade e continuidade da mecânica das ondas. Isso é inteiramente consistente com o conceito Vedanta de All in One”.

Em 1925, a visão de mundo da física era um modelo do universo como uma grande máquina composta de partículas materiais de interação separáveis. Nos anos seguintes, Schrödinger e Heisenberg junto a seus seguidores, criaram um universo baseado em ondas inseparáveis e ​​superpostas de amplitudes de probabilidades. “Esta nova visão seria inteiramente coerente com o conceito Vedantic do All in One. ” (Schrödinger: Vida e Pensamento (Meine Weltansicht), p. 173)

Segundo o Dr. Walter John Moore, professor, físico-químico e escritor, na página 125 de sua obra biográfica, “A Life of Erwin Schrödinger”, Schrödinger descobriu que “o Vedanta ensina que a consciência é singular e que todos os acontecimentos se desenrolam numa consciência universal, e não há multiplicidade de eus…”

Num ensaio sobre determinismo e livre-arbítrio, Schroedinger deixa bem claro o sentido de que, a consciência é uma unidade, argumentando que “essa percepção não é nova… Existindo desde os grandes Upanishads, que reconhecem Atman = Brahman, ou seja, o eu pessoal é igual ao onipresente, compreendendo um eu eterno –  presente no pensamento indiano e longe de ser uma blasfêmia –  para representar a quintessência do mais profundo insight dos acontecimentos do mundo.

Erwin Schrödinger Fonte: https://upliftconnect.com/quantum-physics-vedas

Einstein Prodolsky e Rosen, foram os primeiros autores a reconhecer que a mecânica quântica é, inerentemente não-local, o que significa que permite a ação instantânea através de grandes distâncias arbitrariamente.

Em 1935, eles desafiaram a Mecânica Quântica, alegando que se tratava de uma formulação incompleta, pois, uma ação num certo local de um país pode influenciar instantaneamente algo noutro país, bem distante, assim como, uma ação em qualquer outro lugar, pode influenciar algo do outro lado do universo, no mesmo período de tempo. Este estudo, ao explicar o emaranhamento quântico, mudou drasticamente alguns paradigmas, alertando para as implicações mágicas e metafísicas da mecânica quântica.

Albert Einstein conhecia bem o Bhagavad Gita: “Quando eu leio o Bhagavad-gita e reflito sobre como Deus criou este universo, tudo o mais parece tão supérfluo … Eu sustento que o sentimento religioso cósmico é o mais forte e nobre motivo para a pesquisa científica. ”

Se Bohr e companhia ou Einstein e companhia estão certos, é motivo de controvérsia entre os físicos, ainda. Mas, uma coisa é certa! Essa pesquisa materialista abriu as portas para um novo olhar, sobretudo para a importância dos Vedas. Pois, o Bhagavad-gita diz: 1) “Um mundano com certeza comete erros, 2) é invariavelmente iludido, 3) tem a tendência de enganar os outros e 4) é limitado por sentidos imperfeitos. Com essas quatro imperfeições, não se pode fornecer informações perfeitas sobre o conhecimento que tudo permeia. ”

O físico nuclear, Robert Oppenheimer, aprendeu sânscrito ao estudar o original do Bhagavad Gita citando-o mais tarde como um dos livros que mais influenciou sua filosofia de vida. Ele disse: “Os Vedas são o maior privilégio deste século”.

Ao testemunhar o primeiro teste nuclear do mundo em 1945, Oppenheimer citou instantaneamente o capítulo 11 do Bhagavad-gita, texto 32: “Agora me tornei a morte, o destruidor de mundos. ”

Textos védicos como o Bhagavad-gita e os Upanishads foram considerados, coletivamente, os livros mais influentes já escritos por pessoas eminentes como Thoreau, Kant, Schopenhauer, Schrödinger, Werner Heisenberg, Tesla, Einstein etc.

É notável como essas grandes mentes, ao entrarem em contato com os textos védicos, concordam que a realidade última permanece atemporal e imutável, e está contida nos textos védicos, como o Bhagavad-gita e os Upanishads. Sabemos que, 300 anos antes da Mecânica Quântica, o Sr. Isaac Newton surgiu com a Mecânica Clássica, descrevendo ações e reações muito básicas. No entanto, toda a obra de Newton em Física, sobre Cálculos, foi, se não extraída, baseada no livro de Cálculos, do Vedas e Kerala, usados originalmente para calcular as taxas de mudança em Astronomia e Astrologia por muitos milhares de anos antes de Newton.

Outro cientista genial que entendeu que os segredos estavam nos Vedas foi Nikola Tesla.

Tesla com Swami Vivekanda Fonte: https://upliftconnect.com/quantum-physics-vedas

Tesla foi o inventor de muitas das coisas que usamos hoje em dia, mas um grande número de pessoas, provavelmente, nunca ouviu falar dele, pois, seu nome foi removido da história convencional, e assim como muitos dos ensinamentos dos Vedas, ele acabou sendo ignorado.

Tesla entendeu o grande poder do Campo de Ponto Zero, Akasha ou Éter: o poder do espaço entre os elétrons e o núcleo. O efeito de Vivekanda – considerado uma figura chave na introdução da Vedanta e da Yoga no Ocidente – em Tesla foi tão grande que ele se tornou vegetariano, celibatário e começou a usar palavras em sânscrito. Ele morreu com sua ciência de energia escalar em sua cabeça, por não querer que o exército dos EUA a usasse para destruir o planeta.

Tesla foi a primeira pessoa a descobrir como tornar possível a comunicação via rádio, através do oceano Atlântico. Mas, como ele queria deixar essa descoberta acessível para todos, seu financiamento foi interrompido, já que Tesla queria dar este poder a todos de forma gratuita, e obviamente, isso não era bom para os negócios dos poderosos interessados.

Toda a engenharia de Tesla foi traçada em sua cabeça, ele não costumava deixar registros de seus trabalhos no papel. Também, não usou modelos em escala para chegar a um resultado final funcional. Ao que parece, ele foi, de fato, fortalecido por Krishina, de forma que o conhecimento surgia em sua mente e, ele simplesmente, gravava-o, exatamente como veio a ele, semelhante a Beethoven.

O dom do poder mental vem de Deus, ser divino, e se concentrarmos nossas mentes nessa verdade, nos tornamos afinados com esse grande poder … Nossos sentidos nos permitem perceber apenas uma pequena parte do mundo exterior. – Nikola Tesla

 



Referências:

https://upliftconnect.com/quantum-physics-vedas

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nikola_Tesla

https://en.wikipedia.org/wiki/Erwin_Schr%C3%B6dinger

https://www.persee.fr/doc/rhs_0151-4105_1993_num_46_2_4280_t1_0309_0000_1

https://pt.scribd.com/document/159362524/Nikola-Tesla-and-Swami-Vivekananda

https://super.abril.com.br/comportamento/upanishads/

Curiosa pesquisadora das mais diversas áreas do conhecimento, autora de variados tipos de textos, expostos em https://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/index.php

Posted in Antigas Civilizações, Antigas Escrituras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *