O Mistério Dos Hititas Bíblicos

Para as gerações de arqueólogos e historiadores dos séculos XIX e XX, não havia muito mistério sobre os Hititas, que teriam crescido no Crescente Fértil e progressivamente se deslocado para o oeste a fim de expandir seu império. Mas será que essa narrativa está correta? Novas descobertas arqueológicas podem indicar que não.  

Quem eram os Hititas?

Segundo a história convencional, foram um povo indo-europeu que se estabeleceu na região da Anatólia (atual Turquia), provavelmente entre 2150-2000 a.e.c. A partir de 1700 a.e.c., eles formaram um grande império na região, tão grande, que chegou a rivalizar com o Império Egípcio, que era a maior potência militar da região, na época. A Civilização Hitita exerceu sua hegemonia até aproximadamente 1200 a.e.c., quando foram conquistados pelos assírios. 

Representação 3d de Hatusha.

Um ponto interessante a se lembrar é que já conhecíamos os Hititas antes mesmo de qualquer descoberta arqueológica em relação a eles. A Bíblia os cita em Gn. 10:1, 6, 15., quando lemos que Hete era filho de Canaã, que era filho que Cam, que era filho de Noé, sendo assim, segundo o texto bíblico, eles eram os descendentes do bisneto de Noé, consequentemente, de Noé.

Mas saindo da “historiografia” e indo para a história “material”, o que temos sobre eles? As primeiras evidências (arqueológicas) de sua existência foram localizadas ainda no século XIX, quando o arqueólogo alemão Hugo Winckler descobriu mais de 10 mil tábuas escritas em cuneiforme hitita, nas ruínas da cidade de Lassar.

Representação de Hititas, artista desconhecido.

As tábuas encontradas por Winckler registravam informações importantes da história dos hititas e de suas transações comerciais. O conhecimento sobre o conteúdo dessas placas só foi possível através do trabalho do linguista checo Bedrich Hrozny, que em 1916, conseguiu decifrar a maior parte dos textos hititas e identificou a língua como sendo de origem indo-europeia.

O trabalho de Hrozny pôde ser realizado graças à tradução do texto hitita “nu nin-da-an ez-za-te-ni, vatar-ma E-ku-te-ni”, que significa “você comerá pão, você beberá água”. A partir disso, ampliou-se a compreensão dos historiadores sobre a trajetória da civilização formada pelos hititas.

Tabuleta do texto “Nu Ninda-An Ezzateni, Vatar-Ma Ekuteni”.

O que pode estar errado?

Primeiramente, precisamos ter em mente que a história/historiografia não é estática. Não é algo que sempre foi como está, e não será algo que permanecerá como está hoje. Com o passar dos anos e avanço das pesquisas, da tecnologia e, inclusive, dos próprios historiadores e arqueólogos, novos fatos vão aparecendo e resolvendo algumas questões antigas, de modo que aos poucos, a história vai ganhando forma e cor.

Acontece que, nem sempre os novos fatos descobertos nos ajudam a elucidar uma teoria provável e plausível, como é o caso dos Hititas, onde hoje em dia, temos mais dúvidas de sua verdadeira origem e até identidade, do que tinham os arqueólogos que os estudaram no início do século passado.

Antes os pesquisadores erroneamente confundiram os Hititas bíblicos com o povo egípcio do império Kheta, descrito em manuscritos que contém algumas similaridades com os textos bíblicos. Com o passar dos anos, novas descobertas sobre o povo Kheta acabaram por eliminar essa confusão, foi quando surgiram novas evidências de um antigo povo que dominou a região da Anatólia, na época referida, os Hatitas (ou Hatianos), habitantes do império Hatti, que tinha como capital a cidade de Hattušša (Hatusha).

As referências a Hatti, começaram a aparecer em textos cuneiformes assírios, onde situavam-na entre Síria e Palestina. Sabendo disso, os pesquisadores foram além dos textos cuneiformes assírios e procuraram relacionar os hititas do registro bíblico com um império que tinha a sua capital na Ásia Menor, muito ao norte e ao oeste da terra de Canaã, chamado de Hushika, mas a teoria não se sustentou.

Sendo assim, o Hatitas foram tidos por muitos anos como sendo os Hititas que conhecemos hoje, porém, com o avançar das pesquisas, confirmou-se que os Hatitas não eram os verdadeiros Hititas, mas sim, foram conquistados por um novo povo de origem Indo-Europeia, e o povo em questão, se instalou no território Hatita, mantendo o nome da capital Hatusha.

Em Bogazkoy (antiga Hatusha), foram descobertas muitas tabuletas, e ao analisar tais textos, os linguistas identificaram uma língua escrita em um cuneiforme um pouco diferente dos cuneiformes conhecidos até então, porém, por falta de evidências, nada mais podia ser afirmado. Mais alguns anos se passaram, quando em 1918, foram descobertas as ruínas da cidade de Neša (Nesha) (também conhecida como Kanesha), na província de Kayseri, Turquia, foi quando os pesquisadores finalmente puderam dar um nome para a língua em questão, que passou a ser chamada de “Nešili”, que na língua significa “língua de Neša”.

Tabuleta contendo a língua Neshili, escrito em cuneiforme, encontrado em Nesha.

Um antigo povo estava sendo redescoberto, com evidências textuais, arquitetônicas e culturais. Com o avançar das escavações, os pesquisadores puderam elucidar um pouco sobre esse povo, que chamaram de Neshitas (Nešitas), por conta do nome de maior cidade, Nesha.

Os Neshitas

Mas o que esse povo tem a ver com os Hititas, foco deste artigo? Bom, mais do que você imagina. Após mais de 100 anos de pesquisas e discussões entre historiadores, arqueólogos, antropólogos e outros, hoje em dia, temos algumas informações importantíssimas sobre esse povo. 

Os Neshitas eram a peça que faltava no quebra-cabeças, agora, os pesquisadores sabiam qual povo tinha invadido e conquistado o império Hatita, trazendo consigo uma língua nova, que também era escrita em cuneiforme, porém, com características diferentes dos outros cuneiformes conhecidos até então.

Em outras palavras, a maioria dos entusiastas ou pesquisadores menos atualizados, quando se referem aos Hititas, na verdade, estão falando do povo Neshita, que conquistou os Hatitas e foram e são chamados de Hititas até hoje.

Os Hititas Bíblicos são na verdade os Neshitas?

Como já dito, os textos bíblicos afirmam que os Hititas são descendentes de Hete, bisneto de Noé e, consequentemente, descendentes do próprio Noé. Levando isso em consideração, podemos supor duas hipóteses.

  • A primeira, que os descendentes de Noé eram os Hatitas, que foram erradicados e extintos pelos Neshitas.
  • A segunda, que os Hititas bíblicos, na verdade são os Neshitas, que se miscigenaram com o que sobrou do Hatitas.

No final das contas, não há tanto mistério. Sabemos agora, as duas únicas opções para quem poderiam ser os Hititas Bíblicos, correto? Errado, na verdade, há uma terceira hipótese, que precisa ser analisada.

Na bíblia, quando é dito para os israelitas sobre a Terra Prometida, lemos que a terra dos descendentes de Hete está inclusa neste território. Da mesma maneira, em diversos outros trechos dos textos bíblicos percebemos que os Hititas são descritos várias vezes como vivendo em, ou perto de Canaã, entre a época de Abraão (1850 a.e.c e 1500 a.e.c) e a época de Esdras, após o retorno dos judeus do exílio babilônico, por volta de 450 a.e.c.

No livro de Josué 1:4, quando o deus diz a Josué “Desde o deserto do Líbano até o grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus (hititas), e até o grande mar para o poente do sol , será a sua fronteira”, esta “terra dos hititas” na fronteira de Canaã é vista estendendo-se entre o Líbano e o Eufrates, por isso, sabemos que o local em questão não ficava na Anatólia. Da mesma maneira, na era do rei Salomão, o território dos hititas é descrito como sendo próximos à Síria.

Sendo assim, os Hatitas ou Neshitas, jamais poderiam ser os Hititas bíblicos, tendo em vista que seus domínios se deram no território da Anatólia, que como vemos, não está nem um pouco próximo de Canaã.

Ruínas do castelo de Kanesh, em Nesha.
Como podemos ver, a Anatólia não era próxima a Canaã.

Então quem são os Hititas Bíblicos?

Este é o verdadeiro mistério. Temos um povo com o mesmo nome, mas que sabemos que não corresponde nem em território, nem em língua com os Hititas descritos na bíblia, ou seja, os Hititas que conhecemos hoje, são um povo totalmente diferente dos Hititas citados na bíblia.

O que a história e a arqueologia oficial dizem em relação a isso? Como sempre, as opiniões são divididas.

  • Para a grande maioria dos pesquisadores modernos, os Hititas bíblicos sequer existiram, e foram apenas um povo qualquer, utilizado como “bode expiatório” pelos hebreus, para dar veracidade aos trechos fictícios da bíblia, e teriam recebido esse nome, em homenagem ao personagem mitológico Hete, bisneto de Noé.
  • Para outros, os Hititas bíblicos existiram, porém, seus vestígios, ruínas de cidades e outros vestígios arqueológicos ainda não foram descobertos, mas estão lá, em algum lugar da região em questão, esperando para serem escavados e finalmente virem à tona.
  • Para outros, os dois povos existiram, e foram erroneamente confundidos como sendo o mesmo povo, porém, de época, território e linguagem completamente diferentes.

Concluímos que: Não podemos negar que hoje em dia, os Hititas que conhecemos são na verdade os Neshitas, que dominaram os Hatitas, e devido às confusões geradas pelos textos bíblicos e até historiadores e arqueólogos do passado, os conhecemos como Hititas, nome pelo qual nunca foram chamados, em um território que nunca estiveram.

Dica de Leitura sobre o assunto.

Referências

Grandes Civilizações Desaparecidas – Conrad, P. Os Hititas e as Antigas Civilizações Anatolianas. Editora: FERNI.

The Kingdom of the Hittites (New Edition) – Bryce, T. Editora: OXFORD

www.wikipedia.com

One thought on “O Mistério Dos Hititas Bíblicos

  • 28 de julho de 2022 em 4:36 pm
    Permalink

    Olá! Sou pesquisador e me coloco, cotidianamente, com disposição para novos e emblemáticos estudos científicos. Quase esquecia: sou professor aposentado e inquietos.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.