Lente de Telescópio de Aproximadamente 3 Mil Anos Era Utilizada Pelos Assírios Para Enxergar o Planeta Saturno? Pelo Jeito, Parece Que Sim!

Se você acha que telescópios ou lunetas são itens modernos, está bastante enganado, pois, a única coisa moderna nesses itens, parece ser os seus nomes. Sabemos que diversos povos antigos tinham uma astronomia bastante avançada, mas ao que todos pensam, os antigos apenas olhavam para o céu e observavam as estrelas a olho nu. Bom, parece que não era bem assim.

A Lente de Nimrud

A lente de Nimrud é uma peça de cristal de aproximadamente 2.800 anos, que foi descoberta pelo arqueólogo John Layard, em 1850, nas ruínas do palácio assírio de Nimrud, atual Iraque. Desde a sua descoberta, historiadores e arqueólogos têm debatido qual seria o real propósito do artefato, e nos dias atuais, existem três hipóteses que tentam explicar qual era a verdadeira finalidade do objeto, como explicaremos no decorrer do artigo.

Também chamado de “Lente Layard”, o artefato foi datado em aproximadamente 750 e 710 a.C., e é feito de Quartzo Hialino, um tipo de cristal formado naturalmente nas cavernas da região. A lente foi cuidadosamente polida e tem um ponto focal a cerca de 11 centímetros do lado plano e uma distância focal de cerca de 12 centímetros do lado côncavo. As combinações dos aspectos listados tornam o objeto equivalente a uma lupa 3×, que se combinada com outra lente, poderia atingir distâncias muito maiores. A superfície da lente tem doze cavidades que foram abertas durante sua produção, as quais continham nafta, que é um tipo de substância obtida a partir do petróleo, coisa que os povos da época e questão nem se quer conheciam, ou pelo menos, achamos que não conheciam.

Lente de Nimrud, ou Lente de Layard, nome do arqueólogo que as encontrou.

Para o que era realmente usada?

O pesquisador italiano Giovanni Pettinato, da Universidade de Roma, propôs que a lente fosse usada pelos antigos assírios como parte de um telescópio, o que seria uma grande descoberta, se comprovada, pois, de acordo com as perspectivas “convencionais”, o telescópio foi inventado pelo fabricante de óculos holandês Hans Lippershey, em 1608, e Galileu teria sido o primeiro a apontá-lo para o céu e usá-lo para estudar o cosmos.

Uma das razões pelas quais Pettinato acredita que as Lentes de Nimrud eram parte de um telescópio, é que parte do conhecimento do povo em questão, sobre astronomia, parece impossível de ser adquirido sem um telescópio. Por exemplo, os antigos assírios viam o planeta Saturno como um deus rodeado por um anel de serpentes, o que Pettinato sugere ser sua interpretação dos anéis de Saturno vistos através de um telescópio, no entanto, outros especialistas dizem que as serpentes ocorrem com frequência na mitologia assíria e observam que não há menção a um telescópio em nenhum dos muitos escritos astronômicos assírios restaram.

Alguns especulam que o objeto não foi parte de um telescópio, mas sim uma lente de aumento, ou até uma lupa para iniciar o fogo, ao concentrar a luz do sol em um único foco por algum tempo. O ponto é que, se formos acreditar na descrição do British Museum, local onde o artefato encontra-se em exibição, o objeto teria sido de pouco ou nenhum uso prático, e mesmo reconhecendo que a peça de cristal foi cuidadosamente polida e, sem dúvida, contém propriedades ópticas, os profissionais do museu chegaram à conclusão incomum de que as propriedades ópticas eram “provavelmente acidentais”.

A lente de Nimrud comparada ao “burning glass”, um antigo artefato utilizado para acender fogo na antiguidade.

Outra hipótese, como já citamos, é de que a lente teria sido usada como um tipo de acendedor de fogo, hipótese essa que não se pode excluir, pois os chamados “Vidros ardentes” eram conhecidos no mundo antigo. Aristófanes, que foi um famoso dramaturgo grego, se refere à “bela pedra transparente com a qual eles acendem o fogo” em sua peça “As Nuvens” de 424 a.C., e Plínio, o Velho (23-79 a.C.) descreve como “bolas de vidro cheias de água” poderiam incendiar roupas quando colocadas em linha com o sol.

O descobridor do artefato, John Layard, sugeriu que os artesãos assírios usassem as lentes como lupa para fazer gravuras minúsculas, como as que foram encontradas em alguns selos e tabuletas de argila assírio. O problema é que especialistas em ótica afirmam que a lente não teria um bom funcionamento para objetos que estavam próximos, mas sim, para os que estavam longes, como nos óculos de grau moderno, onde existe uma lente própria para enxergar objetos próximos e uma diferente para objetos mais distantes.

Exemplo de um texto assírio com caracteres minúsculos, quase indecifráveis a olho nu.

As lentes no mundo antigo

Quanto as lentes em si, sim, já existiam bem antes das lentes Nimrud, as primeiras encontradas datam de cerca de 4.500 anos atrás, entre a 4ª e 5ª Dinastia do Antigo Egito. Exemplos mais “recentes”, pelo menos em relação aos egípcios, foram encontrados em Knossos, na Grécia, e datados de cerca de 3.500 anos de idade, ou seja 1.500 a.C.

Atualmente há várias dezenas de lentes antiquíssimas que foram escavadas por todo o mundo, então parece que os antigos sabiam muito mais sobre lentes do que alguns. (obs: Talvez mais do que alguns pesquisadores do Museu Britânico)

O Museu Britânico concluiu dizendo: “Não há evidências de que os assírios usassem lentes, seja para ampliação, em um telescópio ou para fazer fogo, e é muito mais provável que se trate de um item de decoração, talvez para móveis”, no entanto, muitos (assim como eu) discordam dessa afirmação. E você? Qual acha que seria a verdadeira utilidade do objeto? Só não esqueça de considerar uma coisa em sua resposta: A Nafta encontrada nas cavidades da lente, que teoricamente não deveria existir na época em que ele foi produzido.

Qualquer que seja sua verdadeira finalidade, um ornamento, uma lente de aumento, uma lente para acender o fogo ou parte de um telescópio, as propriedades óticas da Lente de Nimrud certamente parecem ser mais do que um mero “acidente”, e o objeto, bem mais do que uma simples decoração, como afirmam os pesquisadores do Museu Britânico.

Infelizmente, talvez, nunca saibamos exatamente como a lente foi utilizada, por isso, cabe a nós, pesquisadores e entusiastas da história, analisar os fatos e teorizar sobre as possibilidades.

Escultura provavelmente babilônica representando o que parece ser um homem observando o céu por uma lente. Outras imagens de lentes e esferas de vidro da antiguidade.

Referências

www.britishmuseum.com

www.icas-astronomy.org

www.booksfact.com

www.timelineindex.com

www.en-academic.com

2 thoughts on “Lente de Telescópio de Aproximadamente 3 Mil Anos Era Utilizada Pelos Assírios Para Enxergar o Planeta Saturno? Pelo Jeito, Parece Que Sim!

  • 3 de novembro de 2021 em 4:55 pm
    Permalink

    Muito bom! Ótima informação! E vamos investigando/estudando…

    Resposta
  • 6 de novembro de 2021 em 12:36 pm
    Permalink

    Negar as propriedades do objeto é acobertamento da verdade ou simplesmente pedantismo? Um dia ainda consideraremos que os primitivos somos nós desta era tecnológica e burra.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.