A Atlântida e os Anunnaki

A influência Atlante/Anunnaki em diversas civilizações

Outrora existiu no Oceano Atlântico, em frente à foz do Mar Mediterrâneo, uma grande ilha, que era remanescente de um continente atlântico, e conhecida no mundo antigo como Atlântida.

A descrição desta ilha dada por Platão não é, como há muito se supõe, lenda, mas verdadeira história. Atlântida foi a região onde o homem passou pela primeira vez de um estado de barbárie para a civilização. Ela se tornou, com o passar dos anos, uma nação populosa e poderosa, de cujas margens transborda o Golfo do México, o rio Mississipi, a Amazônia, a costa do Pacífico da América do Sul, o Mediterrâneo, a costa Oeste da Europa e África, o Báltico, o Mar Negro e o Cáspio, que eram povoados por nações civilizadas, caracterizando o verdadeiro “mundo antediluviano”, o Jardim do Éden, os Jardins das Hespérides, os Campos Elísios, os Jardins de Alcinous, o Olympos, o Asgard das tradições das nações antigas; representando uma memória universal de uma grande terra, onde a humanidade primitiva viveu por séculos em paz e felicidade. Onde os deuses e deusas dos antigos sumérios (no caso os Anunnaki) e consequentemente dos egípcios, dos antigos gregos, fenícios, hindus, escandinavos e demais mitologias ao redor do mundo eram simplesmente os reis, rainhas e heróis da Atlântida; e os atos atribuídos a eles na mitologia são uma lembrança confusa de eventos históricos reais. 

A mitologia do Egito e do Peru representava a religião original da Atlântida, que era a adoração do Sol, Aton, Rá, que corresponde à deidade Anunnaki Marduk, que faz parte do Panteão de divindades da Suméria. A  Atlântida influenciou a civilização Suméria, e esta acabou por influenciar diversas outras civilizações com a sua cultura, religião com o seu “Panteão de deuses” (os Anunnaki), seu nível de conhecimento em diversas áreas como Engenharia, Arquitetura, Medicina, Astrologia e Astronomia. Conhecimento que eles afirmam terem recebido destas divindades (Atlantes Anunnaki), que na verdade seriam seres humanos de uma humanidade anterior dotados de grande conhecimento e elevado grau de evolução tecnológica e mental, seriam humanos que simplesmente dominaram a consciência a ponto de que o que chamamos de “sobrenatural” e “psíquico” seja apenas uma habilidade para eles.

Os implementos da “Idade do Bronze” da Europa eram derivados da Atlântida. Os atlantes também foram os primeiros fabricantes de ferro.

O alfabeto fenício, pai de todos os alfabetos europeus, foi derivado do alfabeto de Atlântida, que também foi transportado da Atlântida para os maias da América Central.

A Atlântida foi a residência original da família de nações ariana ou indo-europeia, bem como dos povos semitas e, possivelmente, também das raças turanianas. 

A Atlântida morreu em uma terrível convulsão da natureza, em que toda a ilha afundou no oceano, com quase todos os seus habitantes. Algumas pessoas escaparam em navios e em jangadas, e levaram para as nações a leste e oeste as notícias da catástrofe terrível, que sobreviveu até nossos dias nas “lendas” do Dilúvio das diferentes nações do antigo e novo mundo. Esses atlantes remanescentes, os Anunnaki,  migraram para outras regiões como para a Mesopotâmia (antiga Suméria, situada entre os rios Tigre e Eufrates), Egito, África, Europa e Américas, daí originando diversas civilizações que possuíam diversos pontos em comum: a religião com suas divindades, a espiritualidade, uma mesma ideia, comportamento, mesma estrutura, arquitetura, construções muito antigas, de difícil datação, com mesmas tecnologias, civilizações avançadas. E essa seria mais uma questão associando os Atlantes aos Anunnaki impotenzastop.it.

Enki e o Dilmun

Na tradição Suméria, Enki, uma das principais deidades da Mitologia Suméria caracterizado como uma divindade – um Anunnaki – era o “deus” da água doce primordial, da sabedoria e da criação, ele transformou a terra pantanosa de Dilmun em uma terra “sagrada, pura e luminosa”, permitindo que Dilmun se tornasse uma nova reserva de alimento para a terra de Kalam (Suméria).  O Dilmun das primeiras eras é, sem dúvida, Atlântida. Aqui, uma decomposição ousada do termo sumério na língua egípcia nos remete claramente a Enki-Ea, o filho da água. Estes dados são provenientes da interpretação das traduções das tabuletas de argila sumerianas feitas pelo pesquisador Anton Park, especialista em Culturas Orientais.

Enki e a simbologia da serpente

Hermes, na Grécia, Thot no Egito e Mercúrio em Roma são nomes pelos quais o Anunnaki – deidade suméria – Enki era conhecido. Demonstrando com isso a sua influência em diversas civilizações. Todos eles são representados, em suas diferentes mitologias, como deuses portadores de sabedoria e conhecimento, sendo bem conhecido o “Caduceu de Mercúrio” ou “Caduceu de Hermes”, formado por duas serpentes enroladas, como símbolo da Medicina moderna.

Conclui-se que se trata dos mesmos “deuses”  influenciando diversas culturas ao redor do mundo, iniciando pela civilização Suméria com suas deidades Anunnaki, que deram origem a diversas mitologias cultuadas por diversas civilizações. Os denominados deuses seriam os remanescentes dos Atlantes, de uma humanidade anterior à nossa, sobreviventes do Dilúvio que afundou o antigo continente.

Saiba mais na REVISTA ENIGMAS EDIÇÃO 19


Referências

The Antideluvian world-Atlantis – Ignatius Donnelly
El Código Verne – Jesus Cediel
Adam Genisis – Anton Parks

One thought on “A Atlântida e os Anunnaki

  • 17 de outubro de 2021 em 12:02 am
    Permalink

    Eu acompanhei a Live e li agora a matéria. Fica claro que os muitos dos Deuses das civilações pós diluvianas, são os sobreviventes Atlantes com seus conhecimentos, seria o foco principal da materia. Porém não ficou muito claro para mim quais seriam os Deuses ou Deus que estes Atlantes cultuavam se cultuavam algum. Pois creio que foi transmitido também até nosso tempo.
    O Deus único das religiões Abramicas? O Anjo caído ou anjos? Visitantes de outros planetas? De outras dimensões? As forças da Natureza?
    Fiquei com a impressão de estar em aberto isto na matéria.
    Se não me engano, mencionam em descrições ter havido no centro da ilha um templo de Poseidon é isto? Mas se os principais relatos são dos egípcios como pode ser de Poseidon o templo ou Solon o adaptou a sua cultura e religião?

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *