Homo Sapiens no Centro Oeste do Brasil: Evidências da Presença Humana Há 27.000 Anos em Mato Grosso

Compartilhe

Distante dos oceanos Pacífico e Atlântico no mínimo 1500 Km, o Estado do Mato Grosso, no Brasil, guarda importantes vestígios da presença de Homo sapiens no centro da América do Sul.

São dois paredões calcários que preservam parte de uma pré-história pouco conhecida do Brasil e das Américas. Um abrigo rochoso denominado Santa Elina.

Arqueólogos do Museu Nacional de História Natural da França, coordenaram escavações no local entre os anos de 1984 e 2004. Muito embora não tenham encontrado ossadas de Homo sapiens, descobriram indícios de que o homem moderno teria habitado a região em dois momentos: por volta de 27 mil anos e entre 12 mil e 2 mil anos atrás.

A descoberta acabou dando origem a uma pergunta ainda sem resposta: Como poderia a espécie humana ter se estabelecido num ponto tão distante do litoral num tempo tão longínquo?

 

Figura 1 Santa Elina-MT, marcado em vermelho no mapa, mostrando também outros importantes sítios associados a interação humana e megafauna no Brasil. Crédito da imagem: Hubbe et al 2013

O sítio paleoarqueológico de Santa Elina veio a ganhar destaque na edição de agosto de 2017 da revista científica Antiquity: O trabalho resumiu 3 tipos de vestígios encontrados da presença humana na região e datas associadas, como:

– Fragmentos de pedras com marcas serrilhadas, retoques e riscos, que só poderiam ter sido produzidas de forma artificial usando ferramenta lítica e pela mão do homem.

– Ossos de duas preguiças-gigantes, do gênero Glossotherium. Dois adornos com furos nas extremidades, feitos de placas ósseas do dorso da preguiça e que são semelhantes a escamas.

– Restos de fogueiras de origem antrópica, associadas à ocupação humana.

Figura 2 Preguiças-Gigantes eram herbívoras e possuíam aprox. 4m. Teriam sido extintas há cerca de 12.000 anos. Créditos Imagem: dinopedia.wikia.com

Todo material coletado em Santa Elina está guardado no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP). O acervo do abrigo rupestre conta com 4 mil peças da indústria lítica, além de mais de 200 ossos de preguiças-gigantes.

O sítio paleoarqueológico de Santa Elina também é famoso por sua rica arte rupestre. Os paredões que protegem o abrigo registram desenhos de figuras humanas, animais e seres disformes em tons avermelhados, proveniente do uso de uma forma do minério de ferro denominado hematita. A hematita era obtida pelo homem pré-histórico através do atrito contra blocos de pedra, adquirindo assim, pigmento para os desenhos. Alguns desses blocos estão guardados no MAE-USP, apresentando ainda hoje manchas da cor do minério.

Usando C14, restos de fogueiras feitas por humanos e mais de 50 amostras de carvão extraídas das camadas mais superficiais do sítio foram datadas, em sua maioria, entre 2 mil e 12 mil anos. Outras seis, entre 10 mil e 20 mil anos. Lascas de madeira e micro carvões encontrados foram datados por volta de 27 mil anos.
A partir de análises usando o método urânio/tório, um osso retirado de uma camada mais superficial da megafauna, atingiu a idade de 13 mil anos. Outro osso retirado de uma camada mais profunda da megafauna, atingiu a idade de 27 mil anos.
Sedimentos contendo quartzo de camadas distintas, também foram encontrados. Datados por termoluminescência óptica, atingiram a idade de 18 mil, 25 mil e 27 mil anos, respectivamente.

Curiosamente, se seguirmos mais adiante, saindo do Sítio de Santa Elina, há alguns quilômetros da cidade de Cuiabá, vamos encontrar, próximo a cidade de Rondonópolis, cerca de 300 Km ao sul do município de Jangada, ainda no Estado de Mato Grosso, um conjunto de mais de 170 sítios líticos, denominado: Cidade de Pedra.

A região possui pinturas, cerâmicas, adornos feitos com pedaços de hematita e uma abundância de resquícios de fogueiras antrópicas da pré-história. Os arqueólogos dataram estes carvões entre 6.000 e 2.000 anos.

Figura 3 Pintura Rupestre-Sítio Arqueológico Cidade de Pedra. Imagem: Livro Pré-História de Mato Grosso – vol.2 – Cidade de Pedra. (FAPESP-Revista Pesquisa)

Com evidências de caçadores vivendo no abrigo rochoso de Santa Elina há mais de 23.120 anos surgiu a problemática entre cientistas que ainda acreditam que os humanos chegaram às Américas pela América do Norte, contudo além de Santa Elina localizar-se há a mais de 12.000 quilômetros do local de entrada proposto, ela não é apenas longe dos primeiros locais de Clovis, mas também está a mais de 2000 km da costa, numa região com florestas densas e difícil acesso. Inevitavelmente, são fatos que acabam por colocar a prova a maneira como se pensava ter sido colonizado o continente americano, já que a lógica faz-nos suspeitar que os seres humanos viviam ao longo da costa muito antes da sua suposta travessia pelo interior brasileiro há 23.120 anos.

Figura 4 Adorno de 25.000 anos feito com osso de preguiça e artefato lítico modificado pelo homem. Foto: Livro Pré-História de Mato Grosso – vol.1 Santa Elina/Léo Ramos Chaves

A revista científica Quaternary International publicou em 2013 um levantamento que indicou o estabelecimento humano em todas as grandes regiões e biomas do Brasil entre 13 mil e 8 mil anos atrás, porém as intrigantes descobertas em Santa Elina parece faiscar novas possibilidades, até então inimagináveis, quando nos oferece evidências consistentes da presença humana no Centro da América do Sul, há aproximadamente 25.000 anos.

Referências:

MARCOS PIVETTA. Homo Sapiens no Centro da América do Sul: Sítio perto de Cuiabá indica presença do homem há 27 mil anos em Mato Grosso – REVISTA PESQUISA. Pesquisa FAPESP- Arquelogia – Edição 259 , set. 2017.Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/20-17/09/22/homo-sapiens-no-centro-da-america-do-sul/

BRUCE R. FENTON. Humans Present at Brazil’s Santa Elina Rock Shelter 23,120 Years Ago, Confirms National Museum of Natural History in Paris – ANCIENTE NEWS – Home Archaeology/Palaeoanthropology- on 7th september 2017. Disponível em: http://ancientnews.net/2017/09/07/humans-present-at-brazils-santa-elina-rock-shelter-23120-years-ago-confirms-national-museum-of-natural-history-in-paris

BRUCE BOWER. People may have lived in Brazil more than 20,000 years ago-
SCIENCE NEWS.MAGAZINE OF THE SOCIETY FOR SCIENCE & THE PUBLIC. Archaeology, Anthropology, Human Evolution, september 5, 2017. D
Disponível em: https://www.sciencenews.org/blog/science-ticker/stone-age-people-brazil-20000-years-ago

Curiosa pesquisadora das mais diversas áreas do conhecimento, autora de variados tipos de textos, expostos em https://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/index.php

Posted in Arqueologia, Lugares Misteriosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *