Encontrado Giz de Cera Primitivo: Um Artefato Colorindo o passado

Compartilhe

Num antigo lago, coberto por turfa através do tempo, perto de Scarborough, North Yorkshire, arqueólogos acreditam terem encontrado um antigo exemplar de giz de cera, possivelmente usado por nossos ancestrais na coloração de peles de animais ou em obras de arte há mais de 10.000 anos. Curiosamente, num outro local do mesmo lago, foi encontrado um seixo ocre de superfície rigidamente estriada sugerindo ter sido raspado a fim de se obter pigmento vermelho, porém pedras sulcadas parecem ser raras no período mesolítico da Grã-Bretanha.

Os sítios onde os artefatos foram encontrados, ao redor de Palaeo-Lake Flixton no Vale de Pickering (North Yorkshire, Reino Unido), são partes ricas em artes da pré-História. Consta que, um pingente, a primeira arte mesolítica conhecida na Grã-Bretanha foi encontrado lá, num famoso local chamado Star Carr , no ano de 2015.

O termo Mesolítico ou Epipaleolítico é usado para denominar o período de transição entre o Paleolítico e o Neolítico na pré história, e está presente em apenas algumas regiões do mundo, onde não houve transição direta entre esses dois períodos.

Usando técnicas muito avançadas, o giz e o seixo, foram estudados pelos Departamentos de Arqueologia e Física da Universidade de York .

O estudo conduzido pelo Dr.  Andrew  Needham, Professor Associado em Arqueologia Paleolítica no Departamento de Arqueologia , analisou o giz de cera e o seixo localizado perto do antigo lago em North Yorkshire , está disponível no  Journal of Archaeological Science: Reports . (https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352409X17305059).

O giz de cera com 22 mm de comprimento e 7 mm de largura e o seixo 45  mm de comprimento, 43  mm de largura e 16  mm de profundidade foram estudados a partir de microscopia óptica e espectroscopia Raman com resolução espacial micrométrica (micro-Raman). Segundo os pesquisadores , as evidências confirmam o uso de ocre por caçadores-coletores em locais Mesolíticos ao redor de Palaeo-Lake Flixton, Vale de Pickering, North Yorkshire, Reino Unido , sugerindo que os indivíduos do local coletaram e processaram o ocre de diferentes maneiras e possivelmente para diversos fins. No estudo consta que “a qualidade e especificidade da caracterização química possível com o micro-Raman facilita novos caminhos para novas pesquisas sobre materiais ocres na Grã-Bretanha, incluindo a comprovação através de “impressão digital” química.”

A utilização do Micro-Raman parece possuir consideráveis vantagens e tem sido utilizado em muitas pesquisas. Um uso recente foi na identificação de micro cristais de pirita no pingente de xisto mesolítico encontrado na região de Palaeo-Lake Flixton, em Star Carr ( Milneret al.,2016 ). Foi esta mesma técnica usada para investigar o giz de cera do passado.

Crayon SC83 9366 mostrando extremidade pontiaguda, ranhuras e área polida seguindo o longo eixo. –Journal of Arqueological Science-disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352409X17305059

Segundo a pesquisa tanto o seixo como o giz de cera foram modificados de forma antropogênica, pois possuem marcas de sulcos profundos presentes numa única superfície do seixo, algo que não condiz com modificação tafonômica. Além disso, a pedra apresenta forma côncava sugerindo uso intenso. “As características da forma e do padrão da ranhura exibem notáveis ​​semelhanças com artefatos ocres publicados ( d’Errico et al., 2012, Henshilwood et al.,2001 , 432) e material experimental ( Rifkin, 2012 , 187), com a forma côncava. do seixo que se assemelha a objetos produzidos por raspagem ( Henshilwood et al., 2001 , 432; Rifkin, ( 2012187). O seixo é comparável a uma peça ocre profundamente sulcada (KRM10)da Gruta do Rio Klasies 1 ( d’Errico et al. (2012, 949) , em que as linhas foram atribuídas à raspagem com uma ferramenta de pedra para extrair o pó.”-Journal of Arqueological Science – trabalho com ocre em Palaeo-Lake Flixton.”

O Dr. Andy Needham- autor principal da pesquisa, do Departamento de Arqueologia da Universidade de York-https://www.york.ac.uk/news-and-events/news/2018/research/crayon-ochre-lake/) expõe que:

“Cor era uma parte muito importante da vida do caçador e coletor, e o ocre lhe dá uma cor vermelha muito vibrante. É muito importante no período Mesolítico e parece ser usado de várias maneiras.” Que um dos objetos mais recentes que encontraram “parece exatamente com um lápis de cera; a ponta é facetada e passou de uma ponta arredondada para uma ponta bem afiada, sugerindo ter sido usada.”

Segundo o Dr. Andy Needham: “é um objeto muito significativo e nos ajuda a construir uma imagem maior de como era a vida na área; sugere que teria sido um lugar muito colorido ”.

Quando poderíamos supor existir uma versão com 10.000 anos de nosso atual e colorido giz de cera!

foto: Paul Shields / University of York

Então, que aproveitemos também a importante descoberta como uma preciosa oportunidade de reflexão sobre a riqueza que pode guardar as pequenas coisas, nos oferecendo inúmeras possibilidades para grandes descobrimentos.

Referências:

Redação Galilleu. “Giz de Cera” primitivo de 10.000 anos é encontrado por arqueólogos”.Revista Galileu. Publicado em 31/01/2018 disponível em https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Arqueologia/noticia/2018/01/giz-de-cera-primitivo-de-10-mil-anos-e-encontrado-por-arqueologos.html

Ancient lake reveals a colourful past. University of York-Posted on 25 January 2018. Disponível em  https://www.york.ac.uk/news-and-events/news/2018/research/crayon-ochre-lake/ 

Andy Needham, Shanon Croft, Roland Kroger, Harry K. Robson, Charlotte C.A. Rowley, Barry Taylor, Amy Gray Jones, Chantal Conneller—The application of micro-Raman for the analysis of ochre artefacts from Mesolithic palaeo-lake Flixton—Journal of Arqueological Science: Reports—ScienceDirect Vol 17, february 2018, pages 650-656. Disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352409X17305059

Curiosa pesquisadora das mais diversas áreas do conhecimento, autora de variados tipos de textos, expostos em https://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/index.php

Posted in Arqueologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *